Minha Casa Minha Vida ou Casa Verde e Amarela? Compare e vejas as regras dos programas para inscrição.

Imagem:Google

O novo programa habitacional do Governo Federal, Casa Verde e Amarela, já está em vigor e traz diversas mudanças do Minha Casa Minha Vida (MCMV).

A Casa Verde e Amarela foi desenvolvida pelo atual presidente da república, Jair Bolsonaro (sem partido) e sua equipe econômica.


Bolsonaro sancionou a Lei 14.118/21, que cria o novo programa habitacional Casa Verde e Amarela. O objetivo do atual presidente é substituir o MCMV e criar uma marca para seu governo, substituindo a imagem petista.


Mas não é só a mudança de nome, pois o novo programa habitacional trouxe diversas mudanças, como linhas de crédito para reformas, aquisição de imóveis e regularização fundiária para famílias com até R$ 7 mil de renda mensal na área urbana e com até R$ 84 mil de renda anual na área rural.


O MCMV não conseguiu reformar imóveis já prontos e, muito menos, realizar a regularização fundiária. No entanto, ainda há outras mudanças, como o aumento dos valores totais dos imóveis que podem ser financiados, mudança na faixa de renda e juros.


Casa Verde e Amarela serão geridas pelo Ministério do Desenvolvimento Regional e financiadas com recursos orçamentários, como fundos habitacionais e fundo de garantia do tempo de serviço (FGTS).


Faixas do MCMV e Grupos de Casas Verdes e Amarelas

O Minha Casa Minha Vida trabalha com quatro faixas, mas o novo programa habitacional mudou essa divisão para três grupos. Como parte, a faixa com as melhores condições de financiamento foi descartada.

Abaixo está uma comparação de faixas e grupos:


Comparação de interesses do MCMV e Casa Verde e Amarela

As taxas de juros também mudaram e, em alguns casos, é maior. Além disso, não há mais a opção que estava isenta de cobrança, faixa 1. Além disso, o governo criou condições especiais para as regiões Norte e Nordeste. Entenda abaixo:

Imagem:Fdr


Inscrições Casa Verde e Amarela

Aqueles que têm renda de até R$ 7.000 e desejam financiar um imóvel, novo ou utilizado, ou reformar, devem contratar individualmente, a construtora ou uma entidade organizadora vinculada a um projeto financiado pela Caixa.


O cadastro será revisado pelo banco e as condições de financiamento serão apresentadas. Após esse processo, você precisará esperar que os documentos sejam aprovados.

O último passo é assinar o contrato de financiamento.



Minha Casa Minha Vida

Esse programa foi criado pelo ex-presidente Lula em 2009, com o objetivo de facilitar o financiamento de imóveis, especialmente para famílias que tinham poucos recursos, sendo uma das poucas oportunidades para esse grupo.


O MCMV trabalha a partir de parcerias entre governos municipais, estaduais e empresariais, com juros que variam de 5% a 9,16% ao ano e beneficia famílias, das áreas urbana e rural, com renda mensal de até R$ 9.000.


Para participar foi necessário atender aos seguintes critérios: não possuir imóvel próprio, não ter recebido outro benefício habitacional do governo, não ter financiamento habitacional ou materiais de construção e não ter registro no Cadastro Nacional de Mutuários.


Além disso, não deve fazer parte do Programa de Locação Residencial (PAR), não estar cadastrado no Cadastro informativo de Créditos Não Pagos do Setor Público Federal e, por fim, não ser empregado ou casado com um funcionário da Caixa Econômica Federal.


Como dito anteriormente, o MCMV tinha quatro critérios de renda e para se cadastrar era necessário se cadastrar na agência da Caixa Econômica Federal. Então foi o suficiente para procurar um parceiro de desenvolvimento imobiliário do programa.