Header Ads Widget

Últimas Notícias

6/recent/ticker-posts

Bolsa Família: MILHÕES de beneficiários são excluídos do programa, Governo faz pente fino nesses estados; Veja

Imagem:Google

No auge da pandemia do novo coronavírus, milhões de beneficiários foram cortados do programa social Bolsa Família.

O pente-fino atingiu principalmente os estados das regiões Norte e Nordeste. Os dados são do Comitê Técnico de Assistência Social do Consórcio Nordeste.


De dezembro a fevereiro de 2021, a pesquisa registrou redução de 48 mil famílias beneficiadas pelo Bolsa Família na região Nordeste. Outras 13 mil famílias foram cortadas na região Norte no mesmo período.


Enquanto isso, os números foram positivos nas regiões Sul (+26.504), Sudeste (+21.479) e Centro-Oeste (+4.090), que registraram aumento no número de famílias beneficiadas.


Na setorialização por estados, foi um representante do Nordeste que saiu na frente na perda de benefícios: a Bahia. Foram excluídas 12.706 famílias entre dezembro de 2020 e fevereiro de 2021. No mesmo período, perderam Ceará (- 8.639), Pernambuco (- 7.550) e Maranhão (- 6.609).


Também nas regiões Sul e Sudeste, avanços positivos: Minas Gerais (+ 23.047), Rio Grande do Sul (+ 12.119) e Paraná (+ 9.693) registraram aumentos.


"São as duas regiões mais vulneráveis [Norte e Nordeste] com a maioria da população mais pobre do país. Em meio a um dos momentos mais difíceis, o governo corta benefícios de quem mais precisa", disse Carlos Martins, secretário de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social da Bahia.


Entre dezembro de 2019 e dezembro de 2020, todas as regiões do país registraram aumento no número de famílias beneficiadas pelo Bolsa Família. No entanto, as regiões Norte e Nordeste apresentaram o menor número de problemas em relação às demais regiões.


"A falta de pagamento de auxílio emergencial mais o corte significativo no Bolsa Família colocou as duas regiões em rota de colisão com uma crise social ainda mais aguda", disse Carlos Martins, secretário de Justiça da Bahia.


Uma das formas de passar ileso pelo pente-fino anual do Bolsa Família e manter o cadastro no Cadastro Único (CadÚnico) do governo federal constantemente atualizado.


Se o beneficiário mudou de endereço, por exemplo, o governo deve ser imediatamente aconselhado a não perder o benefício.


Também é necessário seguir os seguintes requisitos:


  • No caso das gestantes, atendimento em consultas de pré-natal, de acordo com o cronograma recomendado pelo Ministério da Saúde (MS);
  • Participação em atividades educativas oferecidas pelo MS sobre aleitamento materno e alimentação saudável, no caso de inclusão de mães lactantes (mães amamentando);
  • Mantenha até o dia a carteira de vacinação de crianças de 0 a 7 anos;
  • Acompanhamento da saúde das mulheres de 14 a 44 anos;
  • Garantir atendimento mínimo de 85% na escola, para crianças e adolescentes de 6 a 15 anos e 75% para adolescentes de 16 a 17 anos.

Também é importante ficar de olho nas mudanças do programa. Em 2021, por exemplo, o pagamento das parcelas passou a ser feito de outra forma: através do aplicativo Caixa Tem, da Caixa Econômica Federal.


A plataforma é gratuita para sistemas operacionais Android e iOs. Não é necessário solicitar acesso. O Ministério da Cidadania ficou encarregado de realizar o cadastro automático dos beneficiários.


Para navegar pelo aplicativo é necessário fazer login com o número de Cadastro de Pessoa Física (CPF) e criar uma senha numérica de seis dígitos. A senha é intransferível e pessoal.