Atenção! Governo libera Auxílio Emergencial hoje para mais 22 mil pessoas referentes novas Reavaliações e Contestações.

Imagem:Google

Mais de 22 mil pessoas receberão nesta quarta-feira, 10, um total de R$ 20,95 milhões referentes às parcelas do auxílio emergencial, isso porque novas reavaliações e disputas foram feitas.

De acordo com um calendário publicado no Diário Oficial, os beneficiários receberão todas as parcelas a que têm direito de uma só vez.


O dinheiro estará disponível na quarta-feira tanto para transferências e pagamentos quanto para saques. A liberação, em 2020, do auxílio, aconteceu com mais de 68 milhões de trabalhadores, o que equivale a 32,2% da população e cerca de 40% dos domicílios, totalizando cerca de R$ 294 bilhões em pagamentos.


Grupos que receberão o benefício na quarta-feira

Confira quem são as pessoas que tiveram o pedido reavaliado e receberão as porções do auxílio emergencial hoje:

Parcelamentos de 1 a 5 – 12.000 pessoas que tiveram seu pagamento reavaliado após reavaliações de registros e atualizações de dados governamentais;


Parcelas de 6 a 9 – 9.400 pessoas que ainda não haviam recebido a prorrogação e passaram por reavaliação;


Parcelas de 7 a 9 - 371 pessoas que tiveram o pagamento da prorrogação do auxílio reavaliado;


Parcelas de 6 a 9 - 561 pessoas que fizeram o procedimento de contestação.

Os beneficiários podem consultar a situação do auxílio emergencial através do aplicativo do programa ou do auxilio.caixa.gov.br.


Retorno da ajuda em 2021

Na última segunda-feira, 8, o presidente Jair Bolsonaro disse que estava negociando a devolução do pagamento do auxílio emergencial com ministros, o novo presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco, disse ver "expectativa positiva" de um anúncio ainda nesta semana.


O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse na semana passada que o auxílio emergencial poderia ser pago a cerca de 32 milhões de pessoas, referente à metade dos beneficiários de 2020.


Lembrando que o auxílio emergencial foi suspenso em dezembro de 2020 com saques liberados em janeiro. Os pagamentos foram destinados aos trabalhadores informais afetados pela pandemia. No entanto, como os efeitos da pandemia continuam até 2021, e por causa da lenta vacinação contra o Covid-19 no país, o governo disse que estava discutindo a retomada do benefício.