O Novo Programa Bolsa Família contará com mais de 300 mil beneficiários; Veja como se cadastrar.

Imagem:Google

O novo formato do Bolsa Família está cada vez mais próximo de ser lançado. Espera-se que as mudanças comecem a ser instituídas ainda em fevereiro deste ano.

O Ministério da Cidadania, responsável pelo programa, pretende acelerar a reforma para aliviar as pressões do lançamento de novos auxílios emergenciais.


Segundo o ministro Onyx Lorenzoni, o projeto já está pronto e só falta aprovação. A ideia é que as transformações na BF ajudem a reduzir os custos de um novo benefício emergencial. Isso porque, uma das novidades é o aumento do valor das parcelas e o aumento das novas famílias atendidas.


Por isso, o Ministério da Economia está trabalhando com especialistas da área e também de outros setores para reestruturar as regras do programa. Paulo Guedes chegou a comentar que, ao iniciar uma nova rodada de auxílio emergencial, os beneficiários do Bolsa Família seriam excluídos do pagamento.


Atualmente, o governo está priorizando outros planos e medidas para atender a população vulnerável. Segundo o presidente Jair Bolsonaro, o retorno da ajuda de custo seria prejudicial ao país.


Calendário do Bolsa Família para fevereiro

A Caixa Econômica Federal, responsável pelos pagamentos do Bolsa Família, divulgou o calendário de parcelas para o mês de fevereiro.

Os depósitos continuam sendo baseados no dígito final do Número de Identificação Social (NIS). Desta forma, as datas de arquivamento são:


NIS 1: 11 de fevereiro de 2021;

NIS 2: 12 de fevereiro de 2021;

NIS 3: 17 de fevereiro de 2021;

NIS 4: 18 de fevereiro de 2021;

NIS 5: 19 de fevereiro de 2021;

NIS 6: 22 de fevereiro de 2021;

NIS 7: 23 de fevereiro de 2021;

NIS 8: 24 de fevereiro de 2021;

NIS 9: 25 de fevereiro de 2021;

NIS 0: 26 de fevereiro de 2021.


Vale ressaltar que quem tem o NIS final de 6 a 0 já está recebendo os valores pela Caixa Tem. Para fevereiro serão incluídos os beneficiários com dígito final de 3 a 5.


Aumento no valor e número de assinantes

O plano de reestruturação do Bolsa Família tem um aumento no valor médio pago de R$ 190 para R$ 200. Dessa forma, o limite estabelecido para classificar as famílias dentro do programa também mudará:


  • Situação de pobreza: o limite de renda considerado passará de R$ 178 para R$ 192;
  • Situação de extrema pobreza: o limite de renda considerado passará de R$ 89 para R$ 92.


De acordo com o plano do Ministério da Cidadania, ainda haverá um aumento de 300 mil famílias no cadastro do programa. Além disso, também está prevista a criação de prêmios por mérito escolar. O objetivo é incentivar crianças e adolescentes a se destacarem na escola com boas notas em matemática, ciência e tecnologia, bem como em atividades esportivas.