Carteira de Trabalho Digital; plataforma digital tem mais que 300 milhões de acessos; baixe a sua!

Imagem:Google

Os brasileiros entram na plataforma digital para ter acesso aos dados de seu histórico labore.

Relatórios do governo federal revelaram que mais de 303 milhões de pessoas já estão cadastradas na Carteira de Trabalho Digital. O aplicativo está em operação desde janeiro de 2019, mas tem sido fortemente desejado com a chegada do Covid-19. Aprenda a ter o seu.


A carteira de trabalho digital nada mais é do que a digitalização de todos os relatórios presentes na CLT tradicional. No entanto, através do aplicativo o cidadão pode fazer o acompanhamento diário de benefícios como abono salarial e seguro-desemprego.


Uma de suas principais vantagens é a praticidade de resolver questões relacionadas ao regime de trabalho sem ter que ir a uma agência de serviços.


Uma vez conectado, o cidadão pode, por exemplo, solicitar o seguro-desemprego rapidamente sem sair de casa.


Como baixar a carteira de trabalho digital?

O procedimento de registro é simples. A primeira coisa é ir à loja de aplicativos do seu telefone e digitar 'Carteira de Trabalho Digital'.
Ao baixar a ferramenta, clique em seu ícone e inicie seu cadastro.


Você precisará fornecer dados como nome completo, número do cpf e data de nascimento. Seu número nis também deve ser consultado. Depois de preencher todos os itens, basta confirmar a solicitação e criar uma senha de acesso pessoal.


Ok, agora basta usar os serviços disponíveis.


O que posso fazer na minha carteira de trabalho digital?

Entre as atividades disponíveis você pode ver os valores e datas de pagamento do abono salarial. O aplicativo exibe diretamente ao cidadão seu histórico de trabalho para que ele possa contar quanto deve receber no ano corrente.


Outra possibilidade, como mencionado acima, é solicitar o seguro-desemprego. Basta enviar fotos da documentação necessária, como rescisão do contrato e aguardar o período de revisão. Normalmente, a resposta é concedida dentro de 30 dias.


O trabalhador também pode acompanhar todos os valores vinculados à sua CLT, como as transferências do INSS e do FGTS. Se, por exemplo, seu empregador não fizer nem mesmo as taxas obrigatórias, ele consegue acionar o tribunal para pedir a revisão dos valores.