Veja se uma dívida com mais de cinco anos pode continuar sendo cobrada e tire outras dúvidas a respeito de dívidas prescritas.

Imagem:Google

Quando alguém está endividado, é comum que as pessoas ao seu redor dêem opiniões diferentes que podem acabar confundindo o devedor. Uma das grandes dúvidas sobre as dívidas diz respeito à sua prescrição, um processo sobre o qual vários mitos e verdades são deixados.


Segundo os advogados especialistas em direito do consumidor Plauto Holtz e Ronaldo Gotlib, se o credor não chegar a um acordo ou recolher o valor da dívida através da Justiça, em cinco anos ela prescreve e o cliente não é mais obrigado a pagá-la.


Dessa forma, é importante pagar perto da cobrança de dívidas, principalmente se elas já estão prescritas. Para entender melhor seus direitos e deveres nesta situação, continue lendo este texto.


Verdadeiro ou falso

Veja abaixo cinco situações muito comentadas e descubra se as declarações sobre elas são verdadeiras ou falsas.


O credor pode cobrar depois da prescrição da dívida: FALSO

Após o período de cinco anos, contados a partir da data de vencimento da dívida, o credor perde o direito de co-endividamento em juízo. Após esse período a dívida é prescrita e ele não pode mais cobrar do consumidor.


Embora essa seja a regra, é encontrar consumidores que continuam a ser cobrados por dívidas prescritas. "Isso é algo que não pode acontecer", diz Holtz.


A dívida não prescreve se um processo for aberto: FALSO

Segundo Gotlib, quando o credor entra com uma ação judicial, mas não pode levar os bens anexáveis do devedor, há limitação intercorrente.


"Essa dívida, mesmo que cobrada em juízo, também prescreve quando o processo se mostra ineficaz", explica o especialista.


O consumidor em destaque continua a ter direitos: TRUE

Mesmo que tenha contraído dívidas, o consumidor ainda tem direitos. Isso significa, por exemplo, que o credor não pode cobrar o que lhe é devido publicamente, usando redes sociais, por exemplo.


"Além disso, ele também não pode ter seu horário de descanso ou trabalho interrompido com acusações insistentes", acrescenta Holtz.


O consumidor não pode entrar com uma ação judicial se o credor continuar a cobrar uma dívida prescrita: FALSE

Advogados dizem que muitas vezes as acusações continuam ocorrendo por anos. Se o cliente continuar recebendo chamadas ou cartas frequentes com ameaças legais após a prescrição da dívida, ele pode tomar medidas legais para acabar com essas cobranças.


"Além de cobrar algo que não existe mais, esses tipos de coleta são um incômodo rotineiro", disse Holtz.


Golpes através de dívidas que já foram prescritas são comuns: TRUE

Embora seja difícil de acreditar, golpes por dívida são uma realidade muito comum. Em posse de informações de banco de dados, os fraudadores tentam fazer golpes cobrando dos consumidores dívidas prescritas que já foram pagas ou que nem sequer existem, diz Holtz.


"A principal dica é verificar se a dívida realmente existe. Além disso, também é importante ter certeza de que já passou cinco anos de maturidade. Não forneça dados pessoais, bancários e muito menos de endereço via telefone. Nunca se sabe quem está do outro lado da linha", conclui o especialista.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem