Descubra de um microempreendedor individual (MEI) tem obrigação de entregar a declaração de Imposto de Renda em 2021.

Imagem:Google

Ao se tornar um microempreendedor individual (MEI), o empreendedor passa a ser exigido tanto como pessoa jurídica quanto como pessoa física.

Para acompanhar os reguladores e evitar problemas, é necessário estar atento aos dois lados da moeda.


Para pessoas físicas, uma das obrigações existentes no Brasil é a declaração de imposto de renda. O tema é motivo de muita dor de cabeça para muitos brasileiros, mas pode ser entendido com algumas explicações simples.


Quer saber como funciona a declaração de IR e saber se o MEI precisa fazer isso? Continue lendo o texto.


Títulos PJ e PF

Esses dois papéis têm responsabilidades diferentes com o Estado. Veja abaixo quais são:


  • Pessoa Jurídica: pagamento mensal de R$ 56 a R$ 61 do (Documento de Arrecadação do Simples Nacional) e Declaração Anual do Simples Nacional (DASN-SIMEI);
  • Pessoas físicas: Declaração Anual do Imposto de Renda da Pessoa Física (DIRPF) para quem atingir o limite máximo de renda.

É importante ressaltar que o cronograma para entrega da declaração de IR em 2021 ainda não foi divulgado. No entanto, o momento antes de reunir todos os documentos mais fáceis será o processo.


O imposto é cobrado apenas para cidadãos com renda anual superior a R$ 28.559,70. Esse valor foi determinado para 2020, uma vez que ainda não há informações sobre o rendimento máximo em 2021.


Mas então, MEI precisa declarar IR?

De acordo com a Lei Complementar nº 128, o MEI está isento de tributos federais, como o Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ). Ele também não precisa pagar impostos como PIS, COFINS, IPI e outros.


No entanto, ele tem a obrigação de declarar Imposto de Renda da Pessoa Física. Ou seja, o microempreendedor individual que recebeu rendimentos tributáveis superiores a R$ 28.559,70 em 2020 deve fazer a declaração.


Quem é obrigado a declarar

Todos os cidadãos que atenderem aos requisitos abaixo devem apresentar sua declaração dentro do prazo:


  • Ter rendimentos tributados diretamente na fonte ou isentos superiores a R$ 40.000;
  • Recorde de ganho de capital ou ter realizado, em qualquer mês do ano, operações em mercados futuros, alienação de ativos, na Bolsa de Valores, etc.;
  • Possui ou possui bens ou direitos com valor total superior a R$ 300 mil;
  • Residente no Brasil a partir de qualquer mês do ano e permaneceu assim até 31 de dezembro de 2020;
  • Contabilização da receita bruta da atividade rural igual ou superior a R$ 142.798,50.

Rendimentos isentos e tributáveis

A Receita Federal considera por lei o lucro arrecadado pelo MEI no ano passado como isento de rendimentos do Imposto de Renda. O lucro é representado pela receita de vendas menos as despesas do empreendimento.


Portanto, basta calcular seu rendimento tributável para 2020 para saber se você é obrigado a declarar IR como pessoa física. Embora um MEI possa dispensar a contratação de um contador, é aconselhável ter um profissional contábil por fora para não cometer erros.


O MEI que for obrigado a declarar IR como pessoa física deverá informar a parcela isenta na forma "Rendimento isento e não tributável", na opção "Rendimento de sócio ou titular de microempresa ou empresa de pequeno porte optando pelo Simples Nacional".


Todo o resto acompanha o CNPJ e o nome da empresa na aba "Rendimentos tributáveis recebidos de pessoa jurídica".