CRV e CRLV Digital serão única opção de registro do seu veículo; Saiba como baixar.

Imagem: Google

A partir deste ano, o CRV (Certificado de Registro de Veículos) passou para o formato digital, da mesma forma que o CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos).

Portanto, todos os veículos cadastrados este ano receberão o documento digitalmente.


O Contran (Conselho Nacional de Trânsito) implementou essa mudança no final do ano passado e concedeu um prazo de 30 dias para que o Detran-CE (Departamento Estadual de Trânsito), pudesse se adaptar às novas determinações. Confira o que muda no documento.


Como fica a documentação daqui pra frente?

CRV e CRLV tornaram-se um único documento. O proprietário do veículo também receberá um Número de Segurança do CRV, que será a chave de acesso para a transferência veicular se desejar vender o veículo.


O motorista deve manter esse número em local seguro e não precisa ser apresentado em caso de inspeção.


Como acessar documentos

O motorista pode acessar a documentação no aplicativo Serpro/Denatran, Carteira de Habilitação Digital (CDT) ou através do site do Detran.


Venda de veículos

Quando quiser vender o veículo, o proprietário deve fazer a Autorização de Transferência Eletrônica de Veículos (ATPV-e). Esse processo requer a conclusão do formulário "Intenção de Vender", disponível no site do Detran com os dados do proprietário ou vendedor e do comprador.


O sistema gerará o ATPV-e, que deve ser impresso, assinado por ambas as partes e será necessário reconhecer a empresa para autenticidade em cartório.


A documentação realizada em dezembro de 2020 precisa ser refeita?

Não! A documentação em dinheiro em papel ainda é válida.


O que fazer se o documento foi perdido ou roubado

Nesses casos, o proprietário do veículo pode reimprimir o documento. Caso a chave de segurança CRV seja perdida ou roubada, você precisará emitir um novo código para garantir a segurança do proprietário.


O documento digital será cobrado por novas taxas?

A chegada do documento digital não causará taxas adicionais, mas põe fim à cobrança pela segunda via do documento (CRLV), já que o próprio motorista pode reimprimir o documento.


Em caso de perda de CRV, o motorista precisa solicitar um novo documento, pois um novo código de acesso será gerado.

Fonte:Fdr