14º salário do INSS poderá sair em 2021? Saiba mais.

Imagem: Google

Ao final de 2020, foi protocolado o Projeto de Lei (PL) nº 3.657/20, que prevê a criação do 14º salário emergencial. De autoria do senador Paulo Paim (PT-RS), a medida propõe o pagamento de uma parcela extra do abono anual aos segurados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).


A proposta já recebeu voto favorável de Paim, que também atua como relator do projeto na Comissão de Direitos Humanos e Legislação (CDH). Como justificativa para sua implementação, o senador declarou a dificuldade dos mais de 35 milhões de segurados do INSS que recebem apenas um salário mínimo por mês.


Segundo ele, a pandemia ainda continua afetando drasticamente a administração pública e, consequentemente, a vida das pessoas menos favorecidas. Com o pagamento do valor extra, será possível injetar mais recursos na economia e, assim, retomar o crescimento do país.


"Entre os municípios brasileiros, 64% dependem da renda dos beneficiários do INSS.
O 14º salário representará algo em torno de R$ 42 bilhões em dinheiro novo no comércio local, nos municípios, gerando emprego e renda, gerando impostos, melhorando a qualidade de vida, movimentando a economia local e fortalecendo a vida de todos. Teremos mais empregos para colaborar com a retomada do crescimento do país", disse o senador.


Saiba mais sobre PL

O Projeto de Lei que propõe o pagamento do 14º salário para segurados do INSS teve origem na Ideia Legislativa nº 127.741, iniciativa do advogado Sandro Gonçalves, de São Paulo.


A proposta, que já atingiu a marca de 60 mil assinaturas, foi enviada à comissão da CDH, onde ainda precisa ser analisada e votada pelos senadores. Se aprovado, o projeto será submetido a apreciação e votação pelos deputados.


Para entender mais profundamente as consequências da medida, baixe na íntegra o Projeto de Lei (PL) nº 3.657/20.