Auxilio; Presidente disse que o país se endividou para conter a pandemia e “chegou ao limite” em relação ao pagamento.

Imagem:Google

"Toque a vida", foi o discurso do presidente Jair Bolsonaro ao afirmar mais uma vez que o auxílio emergencial não continuará em 2021. A doença já registra mais de 7,5 milhões de casos no Brasil e soma 192,7 mil óbitos.


No litoral de São Paulo, enquanto passeava por Praia Grande no final de 2020, Bolsonaro criticou os governadores por determinarem medidas de isolamento social, com o fechamento de comércios e serviços. Bolsonaro gerou aglomeração na praia e foi recebido por vários apoiadores que não usavam máscaras.


Ele ficou mais meia hora na praia, como foi postado em suas redes sociais. Ao final do auxílio emergencial, o presidente disse que o país havia se dividido para conter a pandemia e "chegou ao limite" em relação ao pagamento do benefício.


"Sei que muitos cobram, querem algo melhor e alguns até esquecem que estamos terminando um ano atípico, onde estamos em dívida com R$ 700 bilhões para conter a pandemia, [para] dar ajuda emergencial a quem perdeu tudo", disse o presidente a um membro de sua comitiva.


O presidente acrescentou: "Os informais, em grande parte, perderam tudo, a renda era zero. Eles querem que a gente renove [auxílio emergencial], mas nossa capacidade de dívida atingiu seu limite."


Em rápida coletiva de imprensa, Bolsonaro declarou que o país "continua a ser administrado" e disse que as consequências da pandemia "estão lá", citando o "grande endividamento que vai acontecer". "Mas temos informações de que a economia está reagindo", disse ele.


Fim do auxílio emergencial

Os depósitos de auxílio emergencial na poupança social digital foram encerrados em dezembro, mas o calendário para saques de benefícios vai até 27 de janeiro. Para este ano, são oito pagamentos liberados que fazem parte dos ciclos 5 e 6.


Os valores a receber podem ser de R$ 600, R$ 300 ou R$ 1,2 mil, dependendo de qual parcela a pessoa recebeu antes e quando teve a inscrição aprovada para ganhar o benefício.