Auxílio emergencial até março de 2021 está em pauta? Entenda proposta

Imagem:Google

Conforme protocolado em Projeto de Lei (PL), uma nova proposta pode estender o pagamento do auxílio emergencial para os meses de janeiro, fevereiro e março de 2021.

A ideia tem autoria do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE). Segundo o parlamentar, em razão dos impactos econômicos causados pela pandemia do novo coronavírus, assim como o atraso no programa de vacinação, é preciso manter a população assistida durante os meses conseguintes.


“O fato é que, por conta da inércia do governo federal, simplesmente não teremos um programa nacional de vacinação em execução antes de março. É preciso fazer essa ponte para manter o mínimo de estabilidade social até lá”, declarou o senador.


Apesar de ainda não ter um previsão de inclusão na pauta do Senado Federal, a iniciativa já está em conversa com outros parlamentares da Casa.


Auxílio emergencial em 2021: Veja o que diz o governo

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) confirmou que o auxílio emergencial não será prorrogado em 2021.
De acordo com o chefe do executivo, a ajuda paga a vulneráveis durante a pandemia de Covid-19 possui caráter emergencial e o país uma capacidade x de endividamento. Caso saia disso, pode haver um desiquilíbrio nas contas públicas


“Auxílio é emergencial, o próprio nome diz: é emergencial, Não podemos ficar sinalizando em prorrogar e prorrogar e prorrogar”, disse o presidente.


Além disso, Bolsonaro também vem reafirmando que não será criado um novo programa de distribuição de renda, como era especulado meses atrás. Segundo ele, a ideia agora é “aumentar um pouquinho” o Bolsa Família, principal recurso financeiro federal de famílias carentes.


“Quem falar em Renda Brasil (nome provisório do programa que substituiria o Bolsa), eu vou dar cartão vermelho, não tem mais conversa”, disse Bolsonaro durante entrevista ao apresentador José Luiz Datena, da TV Band.


Aprovado em março de 2020 no Congresso, o auxílio emergencial começou a ser pago no mês de abril daquele ano, na previsão inicial de 3 parcelas com valor de R$ 600. Após encerrado este prazo, o benefício foi prorrogado por mais 2 meses, em igual valor. Já em setembro, houve a extensão da ajuda por mais 4 parcelas até dezembro de 2020, desta vez no valor de R$ 300.