Previdência social travada, perícia médica do inss e beneficiários não conseguem sacar o salário.

Imagem: Google

Os segurados do INSS que dependem de perícia médica estão passando por dificuldades para marcar consultas. Com isso, o segurado não está recebendo os benefícios por tempo indeterminado.


A antecipação do auxílio-doença acabou e agora o segurado do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que precisa do benefício dependerá de perícia médica. No entanto, eles estão tendo dificuldade no momento do agendamento.


Em muitos casos, as unidades mais próximas dos cidadãos não possuem uma agenda disponível, fazendo com que elas precisem se deslocar para outra agência, mesmo estando a centenas de quilômetros de distância.


O advogado especialista em Direito Previdenciário, João Badari, contou casos ainda piores. Badari disse que precisará judicializar dois casos da cidade de Joanópolis-SP. Os dois casos são sobre agendamento de perícia médica para obtenção de auxílio-doença.


A cidade não possui um órgão da Previdência Social, por isso o segurado precisa realizar o agendamento em uma das duas cidades mais próximas que possuem agência, Atibaia e Bragança Paulista. No entanto, ao tentar agendar, constatou-se que não há vaga.


Portanto, a única alternativa é realizar o agendamento na capital paulista. Com isso, os segurados moradores de Joanópolis precisam se deslocar a cerca de 130km de sua cidade. "É um total despreparo do sistema do INSS em um momento em que o segurado mais precisa do benefício", disse Badari.


"Ou ele trabalha doente para conseguir um sustento ou não tem sustento, e não consegue nem agendar a perícia. Não há oportunidade de pedir benefício por invalidez, seja pelo telefone 135, pois não há vaga nas agências, seja porque agora não há mais a possibilidade de envio do relatório pela internet. Ele também não pode marcar uma perícia pelo Meu INSS (aplicativo ou site), pois não há sequer a aba no sistema", continuou o advogado.


A presidente do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP), Adriane Bramante, informou que a entidade vem recebendo reclamações há dez dias.


"Isso está acontecendo de forma sistêmica, em vários estados. O que temos visto até agora é que é um problema do sistema do INSS. Conversei com alguns especialistas que disseram que a perícia não está pendente de processos judiciais, as agendas estariam disponíveis. Acredito que é uma instabilidade do sistema. Mas existem várias agências que não têm datas disponíveis quando o segurado tenta discar", disse Bramante.