Governo Federal pode DOBRAR valor do Bolsa Família 2021; Entenda a proposta.

Imagem: Google

Segundo pesquisa privada realizada pelo Itaú Unibanco, se o governo de Jair Bolsonaro adotasse alguns cortes de gastos e ajustes de programas considerados ineficientes, o valor pago no Programa Bolsa Família poderia ser dobrado.

Atualmente, o programa paga em média R$ 190 por grupo cadastrado. 


As mudanças trariam um reforço de quase R$ 34 bilhões para o programa, que poderia atender 19 milhões de famílias que pagam um benefício de R$ 300, sem a necessidade de aumentos fiscais.


O projeto da Lei Orçamentária Anual (PLOA) do próximo ano estima que a receita do Bolsa Família 2021 seja de R$ 34,8 bilhões, ou 18% a mais do que os R$ 29,5 bilhões previstos para este ano. 


Uma pesquisa feia do Itaú-Unibanco prevê que a receita do próximo ano será de R$ 33,8 bilhões. 


A economia nos benefícios sociais poderia gerar uma renda de R$ 19 bilhões, com base em emendas constitucionais que podem fazer mudanças no acesso a:


Benefício de Prestação Continuada (BPC);

Limitação do abono salarial para quem ganha até 1,4 salário mínimo (R$ 1.463);

Incorporação do seguro de defesa à Renda Brasil, nome do programa governamental que substituiria o Bolsa Família.

O banco também propõe que o cadastro nacional de aposentadoria rural seja antecipado.


Além disso, aponta que R$ 11 bilhões de recursos seriam resultado de mudanças nas regras para o funcionalismo. Como a aprovação de uma lei que regulamenta o teto dos servidores, e outra propondo a substituição de metade dos funcionários aposentados em 2021, com a remuneração pela metade do salário inicial.


Outra proposta prevê a extinção ou privatização de 6 dependentes estaduais federais do Tesouro Nacional, o que renderia mais R$ 3,8 bilhões para financiar o aumento do Bolsa Família. 


Segundo o economista do Itaú Pedro Schneider, "o governo gasta mais de R$ 18 bilhões por ano com empresas estatais dependentes do Tesouro", disse.


Mário Mesquita, economista-chefe do Itaú Unibanco, destacou que as propostas alternativas foram ditas pelo banco para evitar o estouro do teto de gastos, que é a única âncora fiscal que ainda impede o governo.


Segundo ele, as medidas precisam de uma decisão política a ser implementada.


"Essa proposta mostra que é falacioso afirmar que o teto de gastos inviável. Não é uma impossibilidade econômica, é uma decisão política", disse ele. 


Mesquita lembrou ainda que, em relação aos impostos, o Brasil poderia "aumentar temporariamente a tributação dos setores que estão ganhando mais dinheiro durante a pandemia", disse.


Schneider destacou que, embora o Brasil seja um dos países com maior endividamento público, fez uma despesa significativa neste período para combater a pandemia, desembolsando cerca de 8,5% do PIB.


"É justificável porque é uma situação de saúde, mas isso só aumenta a importância de recorrer à disciplina fiscal quando o ambiente de saúde é normalizado. Os gastos eram importantes e, sem um ajuste, os impactos na economia se tornam mais graves", disse.


Ele disse que é importante manter o compromisso de respeitar essa âncora fiscal em 2021.


"O teto de gastos é uma âncora fiscal muito forte e, graças a ela, as taxas de juros são baixas nos níveis atuais", disse ele.


Medidas que podem melhorar o Bolsa Família 2021

Tomar essas atitudes governo pode dobrar valor do Bolsa Família 2021

Essas medidas foram listadas pelo Itaú Unibanco como aquelas que podem gerar quase R$ 34 bilhões de recursos ao governo.


Racionalização dos benefícios sociais

Limitação do abono salarial para 1,4 salário mínimo

Constitucionalização do acesso ao BPC

Incorporação de seguros de ponta a ponta na Renda Brasil

Antecipação de registro nacional ap. Rural


Funcionalismo

Substituição de metade dos funcionários aposentados em 2021, com metade do salário inicial 

Regulação do teto do serviço público

Proibição de contagem de tempo para progressão de carreira em 2021


Privatização/extinção de estatais dependentes do Tesouro

HCPA - Hospital de Clínicas de Porto Alegre

CBTU - Companhia Brasileira de Trens Urbanos 

EBC - Empresa Brasil de Comunicação 

INB - Indústrias Nucleares do Brasil

Amazul - Amazon Blue Defense Technologies  

Nuclep - Equipamento pesado Nuclebrás.