Empréstimo Bolsa Família: Negativados no SPC/Serasa podem solicitar?

Imagem: Google

O Bolsa Família, além de conceder renda mensal a cidadãos de baixa renda, também oferece empréstimos de até R$ 15 mil aos beneficiários empreendedores.

O recurso destina-se à abertura ou expansão do negócio, e possui algumas facilidades, como juros baixos.


No entanto, para ter acesso ao crédito é necessário que o interessado atenda a alguns requisitos. Uma das principais dúvidas, por exemplo, é se quem tem nome sujo no SPC e Serasa pode solicitar o empréstimo. Neste post, o Edital Concursos explica tudo sobre esse tipo de crédito.


Bolsa de Empréstimo Familiar

O crédito, criado em 2007 pelo Ministério do Desenvolvimento Social, é uma modalidade desenvolvida dentro do Plano de Progresso. O empréstimo, que varia de R$ 300 a R$ 15 mil, é destinado aos inscritos no programa que são Microempreendedores Individuais (MEIs). O valor pode ser usado para abrir ou melhorar a empresa.


No entanto, os beneficiários que são negativos geralmente não têm o empréstimo do Bolsa Família aprovado. Isso porque é feita uma consulta em órgãos de proteção ao crédito, como SCP e Serasa, para apurar a regularidade do CPF do requerente.


Alguns bancos podem até conceder o crédito mesmo que o interessado tenha o nome sujo, mas somente se estiver dentro da regulamentação da própria instituição financeira. Portanto, os interessados em fazer o empréstimo do Bolsa Família devem primeiro verificar se possuem restrições no CPF.


Condições para solicitação de crédito

Para solicitar o empréstimo do Bolsa Família, o beneficiário deve atender a alguns requisitos, como a idade legal. Outro requisito é ter o cadastro atualizado no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo (CadÚnico) e Bolsa Família. Confira outros requisitos abaixo:


Ter outros rendimentos além do benefício, como emprego formal (carteira assinada);

Esteja atento e permita a visita de algum inspetor do programa;

Não ter pendências em órgãos como Serasa e SCPC;

Ter conta na Caixa Econômica Federal (CEF);

Seja MEI.


Além disso, também é necessário ter um fiador. Isso porque, embora as taxas de juros sejam reduzidas, o que gera baixo risco de inadimplência, caso o requerente não pague as parcelas, outras pessoas terão que arcar com as despesas.


Documentação necessária 

Para efetuar o empréstimo, além de atender aos critérios de participação, o interessado e seu fiador devem ir a uma agência da Caixa Econômica Federal. Vale ressaltar que é necessário apresentar a documentação de ambos no momento da solicitação do empréstimo. Aqui estão quais documentos são necessários:


Identidade e CPF;

Comprovante de residência;

Comprovante de renda;

Carteira de trabalho;

Cartão de benefício;

Inscrição no Cadastro Único.


Os beneficiários também terão que levar o cartão Bolsa Família. Em caso de aprovação, o valor será depositado na conta e poderá ser sacado com o cartão do programa.