FGTS: Caixa pode devolver saque emergencial de até R$ 1.045. Saiba como

Imagem:Google

O prazo para a movimentação da saída emergencial do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), no valor de até R$ 1.045, terminou em 30 de novembro.

Assim, segundo a Caixa Econômica Federal, aqueles que não movimentaram os valores até essa data tiveram o valor devolvido à conta vinculada, com as devidas correções.


O banco informou que, ao todo, cerca de R$ 7,9 bilhões retornaram ao Fundo de Garantia. A Caixa informou ainda que a devolução dos valores ocorre no prazo de sete dias corridos a serem processados.


Vale ressaltar que a recessão emergencial, liberada pelo governo como parte do pacote de medidas para enfrentar a crise econômica decorrente da pandemia, era opcional. Ou seja, quem não quiser sacar o valor das contas do FGTS deve comunicar antecipadamente à Caixa ou não usar o dinheiro e aguardar o retorno para a conta vinculada.


Quem pode receber o FGTS de volta?

Segundo a Caixa, tem direito a receber o dinheiro emergencial do FGTS aos trabalhadores que não movimentaram o benefício de até R$ 1.045 na conta poupança social digital, por meio do aplicativo Caixa Tem, nem o saque nas agências.


Lembrando que, a princípio, o valor era creditado na conta digital e poderia ser usado para pagar contas e boletos ou fazer compras. Só depois de algumas semanas, o dinheiro foi liberado para saques e transferências bancárias.


Assim, caso o trabalhador não tivesse realizado nenhuma dessas transações, o valor do saque retornava para as contas do FGTS. O prazo para liberação para quem movimentou algum valor do Fundo de Garantia termina em 31 de dezembro de 2020.


Como solicitar?

Os trabalhadores que, por algum motivo, não sacaram o FGTS emergencial dentro do prazo inicial terão uma nova oportunidade de sacar o benefício de até R$ 1.045. Para isso, basta ir a uma agência da Caixa e solicitar o saque até o dia 31 de dezembro.


O Estado informou que quem fizer a solicitação no novo prazo receberá novamente o valor na poupança digital aberta pelo banco em nome do trabalhador, e a movimentação do dinheiro poderá ser feita pelo aplicativo Caixa Tem.


Dados da Caixa apontam que cerca de R$ 37,8 bilhões foram sacados dos saldos das contas ativas e inativas e distribuídos entre 60 milhões de brasileiros. Destes, 20,9% optaram por não movimentar o FGTS emergencial.