Veja algumas dicas para ECONOMIZAR na ceia de Natal; produtos estão 15% acima do valor.

Imagem: Google

O Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV) realizou uma pesquisa apontando que os alimentos para a ceia de Natal estão, em média, 15% mais caros este ano. 


Este ano, como as famílias terão que usar a criatividade para economizar e para isso deve focar na substituição dos itens mais tradicionais. 


A inflação atingiu principalmente o arroz, que é um dos principais acompanhamentos da tabela, o preço subiu mais de 62% no acumulado dos últimos 12 meses, segundo o Índice de Preços ao Consumidor (IPC). 


Além disso, foram observados aumentos significativos nas carnes tradicionais dos cardápios natalinos, como pernil de porco (30,5%), lombo de porco (20,14%), frango integral (14,5%) e bacalhau (10%).


O economista do Ibre/FGV André Braz disse que "Este será um Natal complicado não só pelo aumento dos preços, mas também pelo desemprego, o que aumenta a sensação de que os preços estão na hora da morte".


Por causa da pandemia, a recomendação é que as famílias não reúnam grupos com muitas pessoas em festas.


Os consumidores devem estar atentos às promoções para fazer compras de ceia.


Além disso, é ótimo evitar fazer compras de última hora, pois os preços tendem a subir.


André Braz sugere que as famílias usem a criatividade para tornar a preparação dos alimentos simples para que seja diferente e sem gastos. 


"O ideal é começar a comprar os itens da ceia cerca de duas semanas antes do Natal, pois ainda haverá mais variedade. Quem sai para comprar em cima da hora pode até encontrar preços mais baixos, mas geralmente só sobra as carnes mais pesadas, que são pelo valor que o consumidor pode ou deseja pagar.", disse.


Outra forma de economizar é procurar produtos que não sejam líderes de mercado, que podem gerar uma economia de 50%. Essa estratégia é usada por Thaissa Wenky para economizar nesta época do ano.


"Este ano devido aos altos preços dos itens de Natal decidi substituir os produtos caros e importados por versões nacionais e mais baratas. Um exemplo disso são nozes e amêndoas que vou substituir por castanha de caju ou Pará. As aves de Natal podem ser substituídas por carne de porco, que geralmente tem um preço muito menor. Outra dica é comprar panettone feito no mercado ou na padaria que é mais barato que a das marcas famosas.", disse.