Você não recebeu abono salarial do PIS/PASEP? Governo Federal confirmou pagamento dos saldos represados; Veja.

Imagem: Reprodução / Google

Os trabalhadores com o abono salarial em atraso receberão em dezembro. Na semana passada, o Ministério da Economia informou que vai liberar os valores do PIS/Pasep para quem teve o benefício suspenso.
Todos os trabalhadores que tiveram sua documentação atualizada pelas empresas terão direito ao valor. Entenda os detalhes abaixo.


O abono salarial é um benefício assegurado pela carteira de trabalho, e deve ser concedido anualmente. Para ter acesso, é necessário ter exercido as atividades devidamente registradas pela CLT por pelo menos 30 dias e também ter a documentação atualizada no cadastro federal.


Para quem não teve os dados enviados pelas empresas, o governo deu um novo prazo. De acordo com o comunicado divulgado na última sexta-feira (30), os departamentos de recursos humanos tinham até o final de setembro para regularizar as informações dos trabalhadores.


os incluídos neste lote serão contemplados em dezembro.


Entre os documentos enviados através da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), estão contracheques dos meses trabalhados, dados de identificação pessoal, planilha de tempo, endereço, meios de contato e muito mais.


Normalmente, todo esse registro é devidamente elaborado entre o trabalhador e o RH da sua empresa. No entanto, há casos em que os contratados atrasam o envio de relatórios impossibilitando o cidadão de usufruir do abono salarial.


Em situações como essa, comprovando o vínculo empregatício, o empregado pode colocar seu empregador na Justiça para ter acesso ao pagamento.


Sobre o abono salarial

Trata-se de um benefício trabalhista destinado a brasileiros com renda de até dois salários mínimos por mês.


Imagem: Reprodução / Google


Na época, o valor concedido leva em conta o ano de 2019, sendo pago R$ 1.045 para quem trabalhou por 12 meses e R$ 88 para quem trabalhou apenas por um período mínimo de 30 dias.


Para saber o valor exato que você deve receber, basta adicionar o tempo de serviço e dividir pelo valor atual do piso nacional.

Até dezembro deste ano, desde que o salário mínimo seja de R$ 1.045, os pagamentos estão sendo disponibilizados da seguinte forma:


MESES TRABALHADOS (dias) SUBSÍDIO DE VALOR

1 (30 a 44) R$88,00

2 (45 a 74) R$175,00

3 (75 a 104) R$262,00

4 (105 a 134) R$349,00

5 (135 a 164) R$436,00

6 (165 a 194) R$523,00

7 (195 a 224) R$610,00

8 (225 a 254) R$697,00

9 (255 a 284) R$784,00

10 (285 a 314) R$871,00

11 (315 a 344) R$958,00

12 (345 a 365) R$1.045,00

Calendário do abono salarial e formas de pagamento

Para saber a data que receberá, o trabalhador deve ser orientado pela mesa organizada pelo Ministério do Trabalho. A organização ocorre nas datas de aniversário do segurado e o valor está disponível para saque imediatamente.


No caso de servidores públicos inscritos no PASEP (servidores públicos), o valor é depositado diretamente em suas contas bancárias do Banco do Brasil.


Para quem está vinculado ao PIS (trabalhador de empresa privada) o saque deve ser feito em uma agência da Caixa Econômica Federal.


Em ambos os casos o saque deve ser feito mediante apresentação do cartão cidadão.
Se o segurado não tiver o documento, poderá apresentar uma das alternativas abaixo:


  • Carteira de identidade;
  • Carteira de Habilitação (novo modelo), física ou digital;
  • MODELO INFORMATIZADO CTPS - Carteira de Trabalho e Previdência Social;
  • Carteira Funcional reconhecida por Decreto;
  • Identidade Militar;
  • Carteira de Identidade Estrangeira.


Calendário de pagamento do PIS PASEP 2020/2021

Pis


Imgem: fdr




Imagem: frd


Período de Saque

O cidadão tem que fazer seu saque dentro de um prazo de até 5 anos contabilizado a partir do depósito do benefício. Se o valor não for alterado, ele deve ser devolvido ao governo federal e só pode ser acessado por determinação judicial.


Quem não tem direito ao subsídio?

Mesmo incluído nas regras acima, é necessário estar atento às categorias que não podem ser contempladas pelo programa. De acordo com a legislação, os seguintes são excluídos dos pagamentos:


  • Trabalhadores urbanos vinculados a empregadores Indivíduos;
  • Trabalhadores rurais vinculados ao empregador individual;
  • Diretores sem emprego, mesmo que a empresa tenha optado pelo recolhimento do FGTS;
  • Empregados domésticos;
  • Aprendizes menores.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem