Ministro da Cidadania crava data de divulgação do programa repaginado para o Bolsa Família 2021.

Imagem: Google

Na segunda-feira (16), o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni informou que o programa Bolsa Família está passando por uma reformulação.

Isso, após vários impasses em relação a um novo programa social do governo.


Apesar disso, não há previsão de liberação de novos recursos, com isso são mantidos os R$ 34,8 bilhões que já estavam previstos para o próximo ano.


O ministro disse que as mudanças devem ser informadas pelo presidente Jair Bolsonaro no início de dezembro.


Sem consenso sobre a origem dos recursos para incluir trabalhadores invisíveis, o que exigiria o corte em outros programas sociais. 


A estratégia do governo é realizar um plano mais simples que faça mudanças apenas no sistema do Bolsa Família.


Isso inclui questões de mérito, premiação com dinheiro as famílias de alunos que têm um bom desempenho escolar.


Além disso, a porta de entrada será como um voucher para gestantes de baixa renda. E o fechamento é uma espécie de intermediação entre beneficiários e empresas que buscam trabalhadores.


O projeto quer migrar o programa para uma plataforma digital, por isso serão incluídos os beneficiários do Cadastro Único (CadÚnico) do Ministério da Cidadania e todo o auxílio pago pelo governo federal a essas pessoas.
Assim, a intermediação será feita através do uso de inteligência artificial.


Impasses para o novo Bolsa Família 


O programa social substituto do Bolsa Família encontra inúmeras dificuldades a serem implementadas no país, a começar pelo próprio nome, no qual não há acordo no governo entre os termos Renda Cidadã e Renda Brasil.


O problema para financiar o programa é por causa do teto de gastos que não pode ser ultrapassado pelo governo, com isso a equipe econômica fez várias tentativas de contornar isso.


Outro problema é a indecisão sobre como o programa será financiado, a princípio seria suportado com dinheiro de outros programas como abono salarial, salário-família e seguro de defesa, que eram considerados de baixo desempenho pelo governo.


No entanto, o governo recuou nessa decisão, já que sua crescente popularidade estava sendo afetada.


Também foi sugerido a criação de novos impostos para cobrir os custos, então a taxa do IRPF seria usada para pagar.


Finalmente, como o programa está desgastado e mesmo com uma imagem ruim para os brasileiros, o governo decidiu mudar o nome do programa, mas os problemas permanecem os mesmos.


Ele continua procurando formas de driblar o teto para pagar o programa, então surgiu a ideia de legalização do jogo. 


O projeto inclui a legalização de cassinos em complexos integrados de lazer. A ideia é incluir entre os jogos que teriam lançamento no país, bingos, caça-níqueis e até mesmo os jogos do animal.


Segundo o governo, a legalização dos jogos exige uma estrutura menor para operação e poderia gerar, em curto prazo, uma renda para o governo de cerca de R$ 50 bilhões por ano.


Bolsa de Família

O Bolsa Família foi criado com a intenção de tirar as famílias da pobreza e da extrema pobreza no país. 


Emergindo em 2003, no governo do ex-presidente Lula. A ideia era realizar a transferência direta de renda que beneficiasse famílias em situação de pobreza e extrema pobreza no país. 


Quem pode receber?

Para receber as famílias devem ter uma renda mensal de até R$ 89,00 por pessoa, ou até R$ 178. Além disso, eles devem ir à prefeitura e cadastrar sua família no CadÚnico.


Valor

O valor recebido pelas famílias varia de acordo com o número de pessoas, idades e renda. Mas é pago em média R$ 190 pela família.