Veja como Atualizar sua inscrição no Cadastro Único e desbloquear o pagamento do benefício BPC.

 (Imagem: Reprodução/Google)

O segurado do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que teve o Benefício de Prestação Continuada (BPC) suspenso deverá solicitar a reativação do benefício.
Para isso, uma das condições é realizar a atualização dos dados no Cadastro Único (CadÚnico).


Em março, o governo suspendeu o bloqueio de benefícios por falta de regularização no CadÚnico devido à pandemia do Covid-19.


Na ocasião, o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, informou que "a medida atinge mais de 243 mil brasileiros, mais de 100 mil idosos que ainda não se cadastraram no Cadastro Único".


Nesta quinta-feira (05), o INSS publicou uma Portaria no Diário Oficial da União (DOU) que fala sobre as suspensões do BPC realizadas até março.


De acordo com o documento, os beneficiários podem entrar com um pedido de reativação do benefício via Meu INSS ou Central 135. Abaixo está um trecho da nova portaria:


"Para desbloquear o crédito ou reativar o benefício que foi suspenso ou rescindido, ou em caso de pagamento bloqueado, o interessado deve fazer a solicitação junto ao INSS, através dos canais remotos disponíveis".


O documento esclarece ainda que os benefícios que não estão incluídos na lista encaminhada ao Ministério da Cidadania para reativação serão desbloqueados manualmente pelas unidades do INSS, uma vez que estes não são contemplados pelo serviço automático.


Além disso, os benefícios suspensos ou rescindidos por motivos que não sejam a não inscrição no CadÚnico, como a falta de saque do valor do benefício ou a não realização da comprovação de vida, podem ser reativados, desde que o segurado solicite o serviço através dos canais de atendimento do Meu INSS.


Bpc

O Benefício de Prestação Continuada faz parte da política de Assistência Social, que integra a Proteção Social Básica do Sistema Único de Assistência Social (Si). Para ter direito não é necessário ser um contribuinte previdenciário.


O BPC paga um salário mínimo por mês para pessoas de baixa renda, ou seja, que tenham renda familiar de até 1/4 do salário mínimo (R$ 261,25) por pessoa. Esse cálculo é feito a partir dos dados relatados no cadúnico.


Trata-se de um benefício individual, não vitalício e intransferível, destinado aos idosos, com 65 anos ou mais, e pessoas com deficiência de qualquer idade, que comprovem não ter meios de serem amparadas ou apoiadas pela família.