Governo anuncia Fim do Renda Cidadã! e mira no programa Bolsa Família com ideia de aumentar o pagamento do beneficio.

Imagem: Reprodução / Google

O Governo Federal desistiu da implantação do novo programa social Renda Cidadã.

O objetivo agora é ampliar o Bolsa Família no próximo ano, após o fim do auxílio emergencial. O orçamento para o programa social será reajustado e deve incluir mais 1 milhão de famílias.

 

Atualmente, o Bolsa Família conta com mais de 14 milhões de famílias beneficiárias em situação de pobreza ou extrema pobreza. O programa foi criado em 2003, durante o governo do ex-presidente Lula.


O Governo Federal estudava a possibilidade de ampliar o auxílio emergencial por mais dois meses. Ou, se possível, a criação do Imposto de Renda do Cidadão para substituir o auxílio que tem fim previsto para dezembro.


No entanto, de acordo com informações das equipes que fazem parte do governo, nenhuma das duas propostas foi aceita. A ideia agora é aumentar o pagamento e o número de inscritos no Bolsa Família.


Retirada de Renda Cidadã

Como resultado das discussões com a equipe econômica do governo, a Receita Cidadã sofreu um boicote devido à falta de definição dos recursos que seriam utilizados para financiamento.


Primeiro, o ministro da Economia, Paulo Guedes, sugeriu a extinção de programas sociais, como o abono salarial. Além disso, o senador Márcio Bittar, relator da PEC emergencial, sugeriu a utilização de uma parte do Fundeb e dos precatórios.


Essas sugestões, no entanto, foram embargadas pelo presidente Jair Bolsonaro. No entanto, o objetivo do presidente é aumentar o financiamento do Bolsa Família e o número de inscritos.


De acordo com dados do governo, pelo menos 3 milhões de famílias dependem do pagamento de assistência financeira no próximo ano.



O auxílio emergencial, pago desde abril, incluía mais de 67 milhões de pessoas. O custo aos cofres públicos foi de R$ 590 bilhões. O benefício será pago até dezembro.


O Ministério da Cidadania informou que antes da pandemia havia 1,6 milhão de famílias aguardando auxílio financeiro, sendo que 1,2 milhão foram incluídas no Bolsa Família e as outras 400 mil começaram a receber auxílio emergencial.



Para 2021, o Bolsa Família tem orçamento estimado em R$ 34,8 bilhões, mas para aumentar o número de beneficiários seria necessário aumentar o valor destinado ao programa. Esse valor já é maior do que o utilizado em 2020 (R$ 29,5 bilhões).