Como acusações de Eduardo Bolsonaro contra a China podem atrapalhar o agronegócio do Brasil?

Imagem: Google

Declaração do deputado Eduardo Bolsonaro contra a China causa preocupação entre o agronegócio do país.

Na rede social, o parlamentar relacionou o país asiático com espionagem. Devido à tensão causada, houve preocupação na relação entre os países. A China é o principal parceiro comercial do Brasil, representando uma parcela considerável das exportações brasileiras.


No Twitter, Eduardo Bolsonaro, que é presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional da Câmara, disse que apoia o programa Rede Limpa do governo dos EUA.


O programa Clean Network tem o posicionamento oposto ao fornecimento da chinesa Huawei para a tecnologia 5G. Em uma publicação, ele indicou que o apoio criaria "uma aliança global para um 5G seguro, sem espionar a China". A publicação ocorreu na segunda-feira (23), mas foi excluída.


Posicionamento da embaixada chinesa

Em nota, a embaixada chinesa havia declarado que uma série de declarações do deputado Eduardo Bolsonaro e algumas personalidades são "infames" e "solapam" a relação entre os dois países. Além disso, essas posições, segundo a publicação, prejudicam a imagem do Brasil.


"Exortamos essas personalidades a pararem de seguir a retórica da extrema direita americana, cessarem a desinformação e difamarem sobre a China e a amizade sino-brasileira e evitarem ir longe demais no caminho errado", disse ele.


Em seguida, o rebaixado também afirma que, "caso contrário, eles suportarão as consequências negativas e assumirão a responsabilidade histórica de perturbar a normalidade da parceria China-Brasil".


Relação entre países do agronegócio

Segundo análise realizada pela Cogo – Agribusiness Intelligence, a China aumentou as compras do agronegócio brasileiro em 30,6%. Esse aumento seria comparado com o período de janeiro a agosto deste ano com o ano anterior.


Além disso, a análise indicou que esse mesmo período de 2020 teve um total de US$ 69,63 bilhões das exportações do agronegócio. Em relação ao mesmo período de 2019, o crescimento foi de 8,3%.


Na época, o montante era de US$ 64,31 bilhões. Desse valor total, a China representa 30,7% das vendas.