Golpistas usam registros PIX para roubar dados dos consumidores.

Imagem / Revista seleção

Os clientes devem prestar atenção e se cadastrar diretamente no sistema através do site ou aplicativo de instituições financeiras no ambiente de registro.

Com previsão de início das operações em novembro, para se preparar para o início das operações, as instituições financeiras já estão convidando seus clientes a cadastrar chaves no sistema - informações que atuarão como identificação para transações e que podem ser CPF, números de correio móvel ou outras informações.


Mas os criminosos estão aproveitando esse movimento para obter informações e senhas confidenciais, enganando os consumidores fazendo-os se registrar em sites falsos.


Em muitos casos, a mensagem traz um link supostamente pré-registrado no Pix, mas leva a um site falso.


As regras são sempre questionáveis. O Brasil é um dos cinco países com mais vítimas de phishing. Somente de abril a junho, 13% dos usuários de internet no país acessaram pelo menos um link que leva a sites criminosos.


Segundo Fabio Assolini, analista de segurança da fabricante de antivírus Kaspersky, houve mais de 30 milhões desse tipo de ataques somente no Brasil em 2019. 


"E-mails falsos são baratos e não exigem muito conhecimento técnico, então os fraudadores podem enviar e-mails para milhões, mesmo que duas ou três pessoas caiam nesse golpe, já lucrativos para eles", disse Assolini. "É um


O chefe da estrutura do mercado financeiro do Banco Central, Carlos Brandt, recomenda que os consumidores se registrem por meio da aplicação do banco do qual já é cliente ou através do próprio site do banco, em um ambiente de login "para conter todas as informações do processo em um ambiente seguro e totalmente seguro", disse.


"Lá em novembro, quando de fato lançamos o PIX, então sim será capaz de fazer uma transferência, mas sempre fazer login no internet banking ou no aplicativo de sua própria instituição financeira", disse ele.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem